Filósofo de rua- Conheça Eduardo Marinho

19:47

                           
Imagem: reprodução
 
 
                           Ás vezes fico assustada com a bagagem cultural de algumas pessoas. É incrível poder trazer e mostrar aos meus leitores grandes personalidades da cultura brasileira. Eduardo Marinho chama a atenção pela sua história de vida. Jovem, sadio e de classe média  não encontrava na elite um sentido para a vida, angustiado, decidiu sair de casa e morar na rua, experimentar o que era não ter nada. Nessa jornada encontrou seu caminho,  hoje é Artista  e também conhecido como filósofo de rua.
                            A filosofia  provoca a expansão de consciência nas pessoas.  Ela faz refletir temas que estão presentes no nosso dia a dia como: amizade, amor, virtudes, etc. Eduardo Marinho não traz consigo reprodução de teorias de uma forma acadêmica. Ele nos traz sua experiência de vida numa linguagem fácil de se entender, a linguagem do povo brasileiro. Seus questionamentos tinham muito a ver com a questão da dicotomia ricos x pobres.  Ele se questionava grande parte do tempo o que fazia algumas pessoas terem tanto e outras tão pouco. Era difícil se conformar com a  miséria. Não queria sustentar o sistema  e crescer através do sofrimento do outro. Seu pai, militar respeitado e sua família sofreram muito com a decisão de Marinho. O artista tentou seguir a  carreira militar, trabalhou no banco e chegou a fazer faculdade de Direito, que trancou. Tudo aquilo era muito raso, Edu tinha de sentir na pele o que imaginava que poderia dar um sentido para sua vida.
                               Saiu de casa sem dinheiro, chegou a dormir em cima de papelões na rua e começou a procurar um meio de sobreviver. Lavava pratos em restaurantes por um prato de comida, fazia o que tinha para fazer, geralmente mão de obra barata. Começou a perceber que precisava ter uma renda para a sua sobrevivência de modo que tivesse contato com o povo  e pudesse compartilhar suas ideias, sendo assim virou artista de rua.
 
 
      Com o slogan " Observar e  absorver" ele começa seu próprio blog e ganha visibilidade da população brasileira como um todo.
 



                                                       Imagens: reprodução, divulgação
 
 
                        Algumas de suas ideias que mais chamam a atenção são as de responsabilidade social.  Há uma grande crítica aos universitários que se sentem melhores do que aqueles com pouca escolaridade. Marinho pensa que é uma responsabilidade daquele que é formado proporcionar o melhor para o outro que não teve as  mesmas condições pois a constituição brasileira garante o direito à educação para todos. Ele prega a humanização.
 
                     José Marques de Carvalho lançou em julho de 2016 o longa-metragem " Observar e absorver" que conta um pouco da história do filósofo de rua.
 
"Eu sou extremamente ambicioso. Eu sou ambicioso de uma forma que ninguém pode conceber. Porque dinheiro, conforto, estabilidade, luxo, pra mim é pouco, eu quero mais. Eu quero tudo que eu puder levar dessa vida" Eduardo Marinho
 
 
                 Confira uma de suas palestras no TED x Talks:
 
 
 
 
 
                        Eduardo Marinho desconstrói nossas ideias. Nos tira da zona de conforto, nos faz enxergar o quanto é necessário humanizar. Em uma de suas palestras  pergunta a moradores de uma comunidade: Quem foi o engenheiro que  ajudou a construir aqui? e os moradores deram risada... pois jamais o morro da favela seria algo planejado.  É assim que se cria o complexo de inferioridade. O que é de um engenheiro sem os peões de obra?  não há obra sem os peões. E o que são dos ricos sem os pobres? não há riqueza sem pobreza, sem mão de obra barata. É tempo de observar e absorver, é tempo de ter responsabilidade social, é tempo para humanizar e praticar a alteridade.
 
 
Karen Fialho 
 
 
 
 
 
 

You Might Also Like

0 comentários

SNAP: @bomdiakah

SNAP: @bomdiakah

Inspiração Natal

Inspiração Natal

Popular Posts

A Autora do

A Autora do

Dicas da

Dicas da

Kaah

Kaah